HOME DO BLOG

Passe o verão sem os desconfortos da menstruação e da TPM

Verão é época de sol, praia, vento no rosto e férias! Sim, nada melhor o fim do ano para recarregar as energias, rever a família e os amigos e, por que não, explorar o Brasil e o mundo com belas e emocionantes viagens?

Agora, imagine três meses de sua vida sem cólicas, sem irritação, sem vontade de chorar pelos cantos, sem dores de cabeça, enfim, sem os pavorosos sintomas da TPM – Tensão Pré-Menstrual. Alie a isso a completa e total despreocupação com a menstruação ou com o fluxo menstrual, com absorventes íntimos, simplesmente porque você escolheu parar de menstruar! Sim, um verão todo seu, sem preocupação nenhuma e sentindo-se super bem!

A contracepção contínua é uma opção viável e que ganha cada vez mais adeptas hoje em dia. E devolve à mulher a capacidade de decidir sobre seu corpo, sobre sua saúde e, por que não, sobre sua vida. Para fazer a opção pelo método, é necessário consultar o seu ginecologista. Ele, na certa, poderá tirar todas as suas dúvidas e indicar a pílula anticoncepcional correta – aquela que não tem pausa.

Se você ainda tem algum medo de tomar a pílula de modo contínuo, saiba que estudos recentes comprovaram que tomar a pílula com interrupção ou sem parada traz os mesmos tipos de efeitos colaterais. Estes, aliás, dependem muito mais da composição da pílula, sendo que as mais modernas tem baixa taxa de hormônio e causam efeitos muito mais brandos.

Se quiser saber se as mulheres brasileiras estão optando pela contracepção contínua, tirar dúvidas e trocar informações, acesse a nossa fan page https://www.facebook.com/Sem.Menstruar ou este blog. Se preferir, você pode enviar também sua pergunta para o ginecologista por meio do formulário em nosso site. Boa sorte e um ótimo verão!

Cuidado redobrado com a candidíase no verão

O uso prolongado de biquíni molhado e o calor excessivo são fatores que contribuem para o surgimento da doença, que causa coceira e muito desconforto

A chegada da estação mais quente do ano mexe com a rotina de muitas mulheres. São dias na praia, piscina, tudo com muito sol e muitas vezes a malhação se intensifica para preparar o corpo para o biquíni. Só que é no verão que também aumenta a incidência de candidíase, uma infecção na região vaginal causada por um fungo, que atinge três em cada quatro mulheres pelo menos uma vez ao longo da vida.

Os principais sintomas da doença são ardor e coceira na região vaginal e um corrimento de cor esbranquiçada. “O fator que mais desencadeia uma infecção por candidíase é a baixa de imunidade. Mas o calor e a umidade também contribuem muito para o aparecimento da doença”, explica o ginecologista e obstetra Dr. José Bento. Para prevenir a doença, alguns cuidados básicos podem ser tomados. Evitar manter o biquíni molhado no corpo por muito tempo, assim como evitar o uso de roupas com tecido sintético principalmente nos dias mais quentes. As mulheres devem preferir usar roupas mais leves, fabricadas com tecidos naturais, que facilitem a ventilação.

 

Hoje eu só quero que o dia…

Você conhece essa música da maravilhosa cantora Luciana Mello? Como não conhecer! Afinal de contas, nos tempos modernos, em que a vida é tão atribulada, de repente, não mais que de repente é dezembro. E o desejo quase uníssono é que “o dia termina bem”, apenas isso. Chegar em casa e encontrar conforto nos braços alheios, um carinho, um momento de prazer para recarregar as energias e estar pronto para o dia seguinte.

Ou seja, após um dia estressante, queremos chegar em casa e ter o nosso momento de descanso, relaxar e renovar as energias para que no outro dia possamos ter disposição e encarar a maratona diária de atividades. Neste momento de tranquilidade, nada melhor do investir em um tempo só para você, com um banho relaxante e revigorante, não é mesmo?

Um banho pode ser revigorante e ir além do bem estar físico, proporcionando bem estar para a mente. Veja como transformar o seu banho em um verdadeiro SPA particular.

post11

Mantenha seu metabolismo em alta com os alimentos certos

O metabolismo é um conjunto de reações químicas responsáveis por várias funções fisiológicas básicas. Ele varia de pessoa para pessoa, porque parte dele é geneticamente determinado. Mas ainda assim algumas atitudes podem ajudar a acelerá-lo.

A receita básica para manter o metabolismo em alta é:

- beber bastante água (ela ajuda o sangue a transportar melhor o oxigênio para os músculos);

- não ficar sem comer por mais de quatro horas;

- deixar o doce para a sobremesa;

- começar as refeições por legumes e verduras (eles ajudam a saciar);

- colocar na dieta pequenas porções de frutas secas.

Para a lista ficar mais completa inclua a pratica de atividades físicas com regularidade e não pule as refeições. O organismo entende que está passando por um período de escassez e, por isso, começa a guardar o que é ingerido. O metabolismo, dessa forma, fica mais lento e a pessoa não emagrece.

Para ajudar o metabolismo, inclua na dieta alimentos conhecidos como termogênicos, que geram um gasto maior de energia. A pimenta vermelha é um bom exemplo. Ela aumenta a circulação e a temperatura corporal e é rica em capsaicina, substância que favorece o aumento da quebra de gorduras no tecido adiposo. Consumi-la pode aumentar em até 20% a atividade metabólica.

post6

Você sabe como evitar infecção urinária?

Ela já fez vítima quase 50% das mulheres adultas, então, mesmo que você nunca tenha sofrido um episódio de infecção urinária, certamente conhece alguém que se encaixa nesse perfil. O problema tem, como sintomas clássicos, ardência e dor na hora de urinar, além de urgência frequente para ir ao banheiro.

Embora não seja uma doença exclusivamente feminina, afeta muito mais esse público. Isso acontece por razões anatômicas, já que a uretra feminina é mais curta que a do homem, facilitando a ascensão de bactérias até a bexiga.

Com tantas pessoas afetadas pela infecção urinária, surgiram inúmeras recomendações de como se prevenir do problema, mas, muitas vezes, a mulher se vê diante de informações contraditórias. Para esclarecê-las, veja as dicas abaixo e saiba como evitar esse incômodo.

Fonte: portal Minha Vida

post11 (1)

Tire todas as suas dúvidas sobre hepatite C

Você sabe o que é hepatite C e quais suas formas de contágio? Bem, se faz a unhas no salão, precisa entender melhor essa doença. Primeiro, é bom saber que são 170 milhões de portadores da doença no mundo, quase 2 milhões no Brasil. E, apesar do número expressivo, a população desconhece as principais formas de contágio da hepatite C. O Dr. Raymundo Paraná, presidente da Sociedade Brasileira em Hepatologia, explica o que fazer para se prevenir:

Hepatite C: tire suas dúvidas e se proteja!

image001

 

Estresse: aprenda a lidar com ele e pare de viver mal

Pesquisas comprovam: a respiração profunda é o mecanismo mais rápido para o gerenciamento do estresse. Por meio dela, é possível controlar os batimentos cardíacos e liberar hormônios, como a , que alivia a tensão e é um importante aliado no combate a doenças, já que fortalece o sistema imunológico.

Especialistas da Escola de Medicina de Harvard ensinam, no site da instituição, formas rápidas de amenizar o estresse e relaxar em apenas três minutos. É possível praticar as técnicas em qualquer lugar, seja num engarrafamento ou nos momentos que antecedem uma reunião importante.

post13

Automedicação pode causar sérios danos à sua saúde

680-03180857

Você que é adepta da contracepção contínua, ou está interessada nesse método que cessa a menstruação e acaba com sintomas indesejados da TPM – Tensão Pré Menstrual, deve saber bem sobre a importância de frequentar sempre um ginecologista para poder avaliar a sua saúde e escolher o melhor método contraceptivo!

Infelizmente, grande parte da população ainda não frequenta um médico e toma remédio por conta própria. É um comprimido para dor de cabeça, outro para cólica, mais um para má digestão… Resultado: a automedicação é responsável pela morte de 20 mil pessoas por ano no país, segundo a Associação Brasileira da Indústria Farmacêutica, sendo a maior parte dos casos resultantes de intoxicação e reações alérgicas.

Os medicamentos que podem salvar, na dosagem errada, podem causar sérios problemas. Atento aos perigos da automedicação, o Viva Sem Menstruar aposta na conscientização. Conheça os erros mais comuns e saiba como evita-los!

- Não resolva na farmácia algum problema de saúde. Na farmácia, procure sempre o atendimento de um farmacêutico responsável, o único preparado a te orientar de forma correta.

- Não tenha preguiça de marcar consulta ou ir ao pronto-socorro. Evite seguir as orientações de pessoas não preparadas (apesar de terem boas intenções) como mãe, vizinhas e amigas. O remédio que solucionou o problema da outra não necessariamente vai solucionar o seu!

- Não armazenar remédios em casa, muitas vezes sem bula e vencidos, e em locais impróprios, como banheiro e cozinha, pois geralmente, são ambientes úmidos e quentes. Hoje, as principais drogarias possuem locais para descarte adequado de medicamentos vencidos. Informe-se!

Fonte: M de Mulher

Suspender a menstruação não traz problemas de saúde. Tire suas dúvidas e consulte um ginecologista!

A menstruação significa para algumas mulheres o ápice da sua feminilidade e fertilidade. Para outras, ela representa somente incômodos como dores, inchaços, cólicas e a temida tensão pré-menstrual (TPM). Porém, atualmente, as mulheres do segundo grupo têm ao seu alcance a escolha de cessar a menstruação e por consequência, diminuir e até eliminar os sintomas que ela traz. Em alguns casos, a suspensão da menstruação é tratar algumas doenças como mioma, endometriose (inflamação da camada que reveste o útero) e anemia. O primeiro passo de quem deseja parar de menstruar é procurar um profissional para auxiliá-la.

Métodos – Existem quatro métodos mais utilizados na interrupção da menstruação. O mais comum é o uso contínuo da pílula anticoncepcional por via oral. Neste caso a paciente toma o medicamento, que pode ser uma combinação dos hormônios estrógeno e progesterona, sem interrupções.

O outro método é a administração da injeção de progestogênio trimestral.

O DIU com progesterona é um dispositivo em forma de T que é colocado pelo médico no útero da mulher e que pode durar cinco anos. E por fim, há o implante subcutâneo, um pequeno bastão é inserido, geralmente no braço da mulher, e libera diariamente o hormônio para inibir a menstruação e pode ser usado por até três anos.

Vantagens – As vantagens em interromper os ciclos menstruais mensais é que os anticoncepcionais hormonais reduzem o risco de surgimento de endometriose, miomas uterinos, câncer no endométrio. Além disso, combatem cólicas menstruais e auxiliam no combate à anemia e à tensão pré-menstrual.

Para as mulheres que querem inibir a menstruação, mas têm medo da infertilidade, é preciso desmistificar o tema. Os métodos hormonais não causam infertilidade permanente. Alguns meses após a interrupção do tratamento as mulheres estão aptas para a fecundação, mas é imprescindível visitar o ginecologista regularmente para verificar alterações indesejadas e controlar as taxas hormonais.

Sangue não é liberado porque não é produzido – Outra preocupação constante é sobre onde vai parar o sangue que não é liberado pelo corpo da mulher. Quase todos os métodos inibem a ovulação. Com isso, o endométrio (camada que reveste o útero que se prepara para a chegada do óvulo) não se forma e logo não há o que sangrar ou eliminar do corpo.

A decisão é da mulher, amparada pelo ginecologista – Se a mulher tem muitos sintomas por causa da menstruação como dor nas costas, compulsão por doces e retenção de líquidos e os sintomas duram semanas, com o fim do ciclo, é possível ficar mais disposta e não ter mais problemas com os treinos de corrida, por exemplo.

A mulher deve ter acesso às informações para poder decidir, junto com um médico, se pode aumentar sua qualidade de vida cessando sua menstruação com um tratamento adequado e supervisionado.

Candidíase: entenda a doença e previna-se!

Vamos falar agora do assunto mais pesquisado no site de saúde do M de Mulher: candidíase! A infecção é causada por um fungo (na maioria das vezes, a Candida albicans) e deixa a área afetada inflamada. Apesar de geralmente atingir a região genital feminina, não é transmitida exclusivamente por relações sexuais, mas por qualquer tipo de contato.

Aliás, a candidíase nem é considerada uma DST. O fungo é oportunista e o desenvolvimento depende das condições de defesa do hospedeiro. Ele pode inclusive habitar o trato digestivo, principalmente o intestino, e contaminar a área genital, que tem calor e umidade e é o ambiente ideal para que o fungo se prolifere quando a imunidade está baixa. A boca também é um dos locais onde a doença se manifesta. Sabe o famoso sapinho que surge nos bebês? É o fungo se manifestando no organismo sem defesas muito consistentes dos pequenos.

Além da coceira, ardor e secreção – O sintoma mais comum da doença é a coceira, mas é importante ficar atenta também para o ardor vulvovaginal e o inchaço da região. Há ainda um corrimento esbranquiçado, grumoso e inodoro, com aspecto de leite talhado.

Outra consequência bem chatinha é a dor durante as relações sexuais e ao urinar. Para passar bem longe da candidíase, a principal dica dos ginecologistas é usar somente roupas íntimas de algodão. Isso porque outros tecidos podem manter a região vaginal úmida e quente, facilitando o desenvolvimento dos fungos. Por isso, também é recomendado dormir sem calcinha, não usar absorvente íntimo diário e evitar roupas muito justas. Durante o banho, lave a região apenas com sabonete de pH neutro. É importante ainda identificar fatores predisponentes, como pílulas com grande concentração de estrogênio e diabetes descompensado.

Diagnóstico correto – A boa notícia é que, na maioria das vezes, a candidíase não traz consequências mais sérias. Mas, além do incômodo e do fato de ela poder facilitar infecções por outros agentes, é importante procurar seu médico o mais rápido possível por outro motivo. Apesar de assintomática na maioria dos casos, outra doença, chamada clamídia, também pode ter sintomas como coceira e corrimento. Uma das DSTs mais comuns, a clamídia é causada por uma bactéria e pode até levar à infertilidade se não tratada.

Tratamento sem mistérios – Se a candidíase é incômoda, eliminá-la não tem nada de complicado. Ainda bem! O tratamento é bem tranquilo e fácil de ser realizado. Na maioria dos casos, usa-se um creme vaginal e um comprimido via oral para o casal, quando se tem vida sexual ativa. Afinal, se você foi contaminada, provavelmente seu parceiro também foi.

Fonte: M de Mulher