HOME DO BLOG

Atividade física é garantia de boa disposição

atividade-física

Um dos principais sintomas da menstruação é a falta de disposição para encarar a maratona de atividades do dia a dia da mulher moderna. Só de pensar naquele monte de coisa para fazer, bate o desânimo. E você já deve ter ouvido falar que a prática de atividade física é essencial para a boa saúde, mas dá preguiça só de pensar em academia…

A verdade é que quanto mais sedentária você for, maior é a indisposição. O descanso e o sono são essenciais, mas o gasto de energia e a liberação de substâncias como a endorfina e a adrenalina durante o exercício físico é fundamental para acordar sempre bem-disposta. E se você não tem tempo para fazer uma atividade física regular, na academia ou no parque, com a orientação de um personal trainer, ainda assim dá pra gastar a energia em atividades cotidianas.

Que tal, por exemplo, deixar o carro na garagem e ir caminhando, ou de bicicleta, até o trabalho? E chegando em casa, dispensar o elevador e usar a escada? No metrô, ou no shopping, dispensar a escada rolante? E varrer e limpar a casa também gasta boas calorias! Claro que o ideal é realizar uma atividade física regularmente, de preferencia as aeróbicas, que gastam mais energia, como corrida, natação, ciclismo e jogos com bola. Neste caso, o mais importante é fazer o exercício que você gosta e se sente bem praticando. O negócio é se mexer!

Dançar mantém a forma, diverte e melhora a autoestima

Vrouwen-Music-Dancers-Girl-Dance1-900x1440

Quando a TPM ataca, geralmente a primeira vítima é a autoestima da mulher. Você se sente feia, acima do peso, desengonçada… E geralmente corre para a academia. Mas nem todas gostam daquele ambiente de “malhação”, e muitas procuram atividades físicas alternativas, como opilates, que já mostramos aqui. E uma atividade física completa, que ajuda a desenvolver o corpo e a mente, ajuda a melhorar a autoestima e ainda é muito prazerosa é a dança.

Além de conhecer melhor o próprio corpo, melhorar o equilíbrio e a coordenação motora, outra vantagem da dança é a socialização. Para as mais tímidas, as aulas são um ótimo jeito de se soltar e fazer novas amizades! E não importa se você já é uma boa dançarina nas baladas ou nunca arriscou alguns passos, nas aulas se diverte quem sabe e não sabe dançar.

A jornalista Márcia Palhares pratica dança do ventre e dança cigana, e está começando as aulas de biodança. Para ela, a dança ajudou a “curar feridas”. “Comecei a dançar numa época em que estava muito triste, e foi ótimo para recuperar minha autoestima. A dança solta, ajuda a mulher a se sentir mais sedutora, mais sensual. Faz você melhorar a sua postura, e conhecer melhor seu corpo. Agora estou começando na biodança, e estou me encontrando”, conta.

Dança de salão tradicional, gafieira, samba-rock, tango, dança do ventre, cigana, biodança… As opções são muitas para quem quer balançar o esqueleto e deixar de lado o baixo astral.



Dicas para acabar com o estresse no trabalho e no dia a dia

noticia_73086

Salário não condizente com as suas funções, insatisfação com o seu chefe ou até mesmo com as atividades que você desempenha. Várias são as causas do estresse no trabalho. Este problema atinge a maioria dos trabalhadores, e a grande questão é como resolvê-lo. O Viva Sem Menstruar dá dicas de como amenizar este problema tão presente no mundo globalizado.

A primeira coisa a fazer é criar um bom ambiente de trabalho. Um espaço confortável e organizado ajuda a se sentir mais familiarizado com o local. O ideal é que não haja muito ruído por perto. Dar um toque pessoal também pode ser uma boa sugestão. Devem-se levar em questão os pequenos detalhes, como a cadeira em que você senta, a iluminação do local e se a temperatura é agravável para todos os que estão no ambiente.

Já em relação à sua carreira, você deve tentar controlá-la da melhor maneira possível. Converse sobre o melhor horário de trabalho (sempre que isso seja flexível dentro da empresa) e seja sociável. Ter o apoio dos colegas também é sempre importante. Tente evitar as redes sociais, pois elas podem acabar atrapalhando o seu desempenho diário, fazendo com que o trabalho fique acumulado, provocando mais estresse.

Estas são algumas das coisas que podem ser feitas para diminuir a tensão. Se os problemas persistirem, procure métodos alternativos, como a ioga, a meditação, acupuntura e fazer exercícios físicos, pois eles ajudam a gastar energia e aliviam a tensão.

Existe também outro problema que pode influenciar no estresse do trabalho e seu nome é TPM. Muitas mulheres sofrem desse mal. O ideal é procurar um especialista no assunto e seguir algumas dicas que podem aliviar estes sintomas.

Fatores que influenciam na TPM são motivos para não menstruar

11079655_809474739143532_971078508075163864_nA Tensão Pré-Menstrual existe desde o início da civilização, mas foi somente no século 20, com a entrada em massa das mulheres no mercado de trabalho, que a TPM foi reconhecida como um problema grave que prejudica a qualidade de vida de milhões de mulheres. Os mecanismos fisiológicos por trás da TPM ainda são um tanto obscuros, mas nos últimos anos muito se avançou nesse tema. Segundo a ginecologista Mara Diegoli, coordenadora do Centro de Apoio à mulher com TPM do Hospital das Clínicas de São Paulo, 30% das mulheres tem TPM moderada, e 5% a 8% apresentam sintomas intensos.

Para a ginecologista, são cinco os principais fatores que provocam a TPM, e a hereditariedade é o mais comum. Os outros são a queda na serotonina (substância produzida pelos neurônios que controla o humor), alterações hormonais, aumento nas prostaglandinas (substâncias que em excesso produzem dor e inchaço) e fatores externos, principalmente o stress. A boa notícia é que você não precisa mais sofrer com os sintomas da TPM intensa. As novas pílulas hormonais para não menstruar são opções acessíveis e na maioria dos casos, seguras. Se você não quer mais essa dor de cabeça na sua vida, fale com o seu ginecologista.

Pílula de uso contínuo: tire suas dúvidas sobre o sangramento!

Uma das principais dúvidas das leitoras do Viva Sem Menstruar, tanto do blog como da fan page, é sobre o sangramento de escape que ocorre em algumas mulheres que optam pela contracepção contínua. Afinal de contas, esse sangramento é normal, é uma menstruação, significa que a pílula não está sendo eficaz? Não se desespere! O ginecologista Dr. Achilles Cruz tira todas essas dúvidas agora:

Dúvida 1 – Mesmo tomando a pílula contínua eu posso menstruar?

Dr. Achilles - No regime de contracepção contínua não ocorre o sangramento mensal, uma vez que não há interrupção periódica do contraceptivo conforme ocorre com o uso de pílulas no regime tradicional com pausa. Entretanto, como em qualquer regime hormonal, pode ocorrer a presença de sangramento de escape.

Dúvida 2 – O que devo fazer se tiver sangramento durante o uso da pílula contínua?

Dr. Achilles - Em geral, o sangramento de escape é autolimitado, ou seja, tende a desaparecer espontaneamente. Portanto, continue o tratamento normalmente. Caso o sangramento persista, se torne intenso ou inconveniente, consulte o seu médico para orientá-la como proceder.

Dúvida 3 – O sangramento é um sinal de que a pílula não está funcionando adequadamente? 

Dr. Achilles - O sangramento não significa redução da eficácia da pílula. Portanto, no caso de sangramento continue o tratamento normalmente para assegurar a eficácia do método.

Se você tiver mais dúvidas sobre o assunto, acesse o site www.vivasemmenstruar.com.br e envie pela seção “Pergunte ao ginecologista”.

Pílula de uso contínuo não é qualquer uma: precisa ser testada e aprovada

A pílula anticoncepcional de uso contínuo deve ser do tipo combinada, monofásica e de baixa dose, ou seja, pílulas que apresentam baixa dose dos hormônios estrogênio e progestagênio em concentração constante durante todo o ciclo.

Trata-se da mesma formulação da maioria das pílulas de uso convencional, diferindo apenas no tipo de regime de administração. Entretanto, aconselha-se que sejam utilizadas no regime contínuo as pílulas que foram testadas e aprovadas para uso específico neste regime contraceptivo.

Efeitos colaterais são diferentes? – Não. Os efeitos colaterais associados ao regime de contracepção contínua são similares aos observados nas usuárias de pílulas com pausa. O sangramento irregular é o efeito colateral mais comum. Em alguns casos, a menstruação não chega a ser totalmente suspensa e as mulheres podem apresentar sangramento irregular do tipo spotting (mancha menstrual) ou sangramento de escape. Este efeito é observado, principalmente, nos primeiros meses de uso do regime contínuo e tende a melhorar com a continuidade do tratamento.

Na dúvida, procure sempre seu ginecologista e tire todas as suas dúvidas! 

Quinoa: quatro benefícios para a saúde e a boa forma

Alimentos funcionais possuem múltiplos benefícios para a saúde e a boa forma. A quinoa está na lista daqueles que devem fazer parte da sua rotina desde já. E ela é menos calórica do que parece.

A quinoa possui cerca de 330 calorias em 110 g, quantidade similar ao arroz. Se você substituir o grão pelo outro, em algumas refeições, poderá aproveitar o que este alimento tem de melhor. Confira motivos para incluir o alimento na sua rotina. 

post3

Andar de bicicleta emagrece, controla a ansiedade e traz outros 5 benefícios

Andar de bicicleta, além de trazer uma sensação indescritível de liberdade, traz benefícios para o corpo. São sete privilégios os à saúde. Eles vão da proteção cardíaca à prevenção da ansiedade. O Viva Sem Menstruar lista no infográfico abaixo:

post_bicicleta

Métodos anticoncepcionais: descubra e escolha o melhor para você!

Há vários métodos contraceptivos e, a partir de agora, vamos desvendar os segredinhos de cada um deles. O objetivo é que você possa escolher o melhor, estimulando que você tire suas dúvidas com o ginecologista.

Você conhece a história da pílula anticoncepcional?

Desde os anos 60, quando foi inventada, ela tem sido companheira das mulheres. O contraceptivo oral contém hormônios que impedem a ovulação, essencial para que aconteça a gravidez.

Quando criado, o medicamento era cercado de polêmicas e mitos, alguns que ainda persistem.  Ainda bem que muita coisa mudou de lá para cá. Se antes as mulheres reclamavam que a pílula podia engordar, hoje as disponíveis no mercado têm dosagens diferentes de hormônios que se ajustam organismo de cada mulher.

Fonte: com informações do Hospital 9 de Julho

 “Disse me disse” sobre a pílula anticoncepciona

O uso do contraceptivo contínuo afeta a fertilidade?

Essa talvez seja a dúvida mais recorrente que aparece entre as leitoras do blog Viva Sem Menstruar. O contraceptivo usado de modo contínuo não tem qualquer relação com a infertilidade. Agora, vamos saber os detalhes?

Há estudos que compararam o retorno à fertilidade em mulheres que utilizaram pílulas em regime contínuo e regime com pausa. Eles demonstraram que a taxa de gravidez após a suspensão do tratamento é semelhante nos dois regimes.

Além da fertilidade não ser afetada, a sua menstruação também voltará ao normal, fique sossegada! De acordo com os especialistas, o retorno às menstruações é rapidamente restabelecido após a suspensão do tratamento contraceptivo em regime contínuo. Não existem evidências de que o restabelecimento da função ovariana e, portanto, da menstruação seja prejudicado com o uso contínuo da pílula.

Ainda tem dúvidas? Sim, todas nós temos, afinal de contas, parar de menstruar é uma mudança de paradigma. Estamos todas acostumadas a achar que menstruar é normal e qualquer coisa que signifique o fim dos sangramentos mensais e dos sintomas da TPM (tensão pré-menstrual) que os acompanham sejam “antinaturais”. Pura bobagem baseada em senso comum. Mas tomar pílula de modo contínuo pode trazer efeitos colaterais?

Os estudos indicam que os efeitos colaterais relacionados ao regime de contracepção contínua são similares aos observados nas usuárias de pílulas com pausa. O sangramento irregular é o efeito colateral mais comum. Este efeito é observado, principalmente, nos primeiros meses de uso do regime contínuo e tende a melhorar com a continuidade do tratamento.

Lembre-se: sangramento nunca mais! No regime de contracepção contínua não ocorre o sangramento mensal, uma vez que não há interrupção periódica do contraceptivo conforme ocorre com o uso de pílulas no regime tradicional com pausa. Entretanto, como em qualquer regime hormonal, pode ocorrer a presença de sangramento irregular. Bem, agora que mais dúvidas estão sanadas, procure seu ginecologista e pergunte a ele se a contracepção contínua pode ser para você!